Universidades da Índia usam sistema RFID para prevenir fraudes

doctor_3_0_0_0_0_9_1_0_1_1_0_0_0_0

Nova Délhi: Estudantes de universidades médicas não serão mais capazes de trabalhar em diferentes faculdades ao mesmo tempo. Em uma aplicação para prevenir “faculdades fantasmas” em universidades de medicina, o Conselho Médico da Índia (MCI) tornou obrigatório para faculdades a inclusão de um sistema RFID para identificar os estudantes.

O sistema incluirá foto do indivíduo, cursos reconhecidos, detalhes pessoais e impressões digitais. O banco de dados será então integrado aos cartões dos membros.

Em um comunicado recente, o MCI pediu a reitores e diretores de todas as universidades médicas a implantação do sistema. Interessantemente, o MCI iniciou seus projetos de RFID em 2009. Entretanto, o processo havia sido descontinuado.

Oficiais dizem que o novo método de vigilância é uma maneira de checar a prática duvidosa de recrutar “estudantes fantasmas” (que não existem fora do papel) durante a inspeção pelo MCI. “O sistema não permitirá que universidades públicas ou privadas se envolvam em práticas que não deveriam”, disse um oficial sênior.

Muitas faculdades, geralmente privadas, apelam para essa prática para conseguir aprovações do MCI por aumentarem o número de alunos.

“Muitas vezes elas são pegas e as propostas são rejeitadas. Mas às vezes elas conseguem a aprovação. Com o novo sistema implantado, esse problema deixará de existir,” disse o oficial.

Fonte: Deccan Chronicle (em inglês)